Pontos de Fé

A Igreja de Deus do Sétimo Dia crê que a Bíblia e a única fonte escrita inspirada por Deus.

Cremos que a Bíblia (Antigo e o Novo Testamento), seja a inspirada “Palavra de Deus”, contendo a revelação de Deus dada ao homem sob supervisão e providência divina; que suas declarações são corretas e que ela é a única regra para fé e prática cristã.

(Romanos 15:4; 2 Pedro 1:20,21; 2 Timóteo 3:15, 16; João 17:17)

Cremos no único Deus verdadeiro, o Pai, que é a Deidade única, eterna e suprema. Ele é infinito em Sua sabedoria, amor e poder; o Criador e Mantenedor de todas as coisas; o único ser existente que deve receber adoração.

(Gênesis 1:1; Isaías 40:28; Mateus 6:6; 1 João 4:16; Êxodo 20:3-7;  Lucas 4:8; João 4:24)

Cremos que Jesus Cristo (Messias), é nosso senhor e salvador, o unigênito filho de Deus, que veio a existir a partir do nascimento virginal em Belém. Cremos em sua vida sem pecado, em seus milagres, em sua morte vicária e expiatória no Calvário, que ocorreu na quarta-feira, que esteve três dias e três noites na sepultura, tendo sua ressurreição no final do sábado. Cremos em sua ascensão e glorificação à destra de Deus no céu, em seu atual ministério como nosso sumo sacerdote e mediador, em seu futuro retorno pessoal à Terra, para estabelecer seu reino e governar esta terra com poder e grande glória.

(Lucas 1:26-31; João 3:16-17; João 4:25-26; 1 Pedro 2:21-22; Isaias 53:4-7; Mateus 12:39-40; Mateus 28:1-6; 1 Timóteo 3:16; Hebreus 4:14-16; 1 Timóteo 2:5; Atos 1:10-11; Apocalipse 5:9-10; Atos 2:29-30; Lucas 21:27).

Cremos que o Espírito Santo é o poder de Deus, e não uma pessoa da divindade. Que é o consolador prometido, a atuação do Pai para convencer o mundo do pecado, da justiça e do juízo. Por esse mesmo Espírito de Deus, somos santificados e selados até o dia da redenção, guiados em toda verdade e capacitados para testemunhar e servir.

(Lucas 11:13; João 14:16, 26; João 16:7-11; Gálatas 5:16-22; Efésios 1:13; Atos 1:8).

Cremos que o homem foi criado para a imortalidade, mas através da desobediência a Deus ele perdeu este direito; que por causa do pecado, a morte entrou no mundo e passou a todos os homens e que somente pela fé em Jesus Cristo o homem corrompido pode se tornar “participante da graça divina” e viver para sempre.

(Gênesis 2:7; Gênesis 1:27; Gênesis 2:16-17; Gênesis 3:17-19; Romanos 5:12; João 3:16; 2 Timóteo 1:10; 1 Coríntios 15:22, 51-54).

Cremos que a morte é uma condição de “inconsciência” (sono) para todas as pessoas, que neste estado não podem participar de coisa alguma na terra ou no céu; Que este estado permanece inalterado até a ressurreição.  No segundo advento de Cristo, os justos receberão a vida eterna, e depois disto, após o milênio de Cristo, os ímpios ressuscitarão e serão punidos com a destruição eterna.

(Eclesiastes 9: 5-6; Salmos 146:4; João 5:28-29; Daniel 12:2; 1 Coríntios 15:20-23; 1 Tessalonicenses 4:16; Apocalipse 20:5, 11-15).

Eu sou um bloco de texto. Clique no botão Editar (Lápis) para alterar o conteúdo deste elemento.

Cremos que o homem em seu estado de corrupção não pode libertar-se do pecado por méritos próprios; Sendo assim, Deus concedeu a salvação gratuitamente a todos aqueles que nesta vida e época, arrependem-se diante de Deus, aceitam abandonar o pecado, aceitam a Jesus como único salvador, são batizados em nome Jesus e recebem o espírito santo.

(Romanos 3:23; Efésios 2:8-9; 1 João 1:9; Romanos 5:8-10; Atos 4:12; Atos 2:38)

Cremos que Deus é santo e deseja que seus filhos busquem viver em santificação. A Santificação significa separação do pecado, separação do mundo e consagração a Deus. Sendo assim, acreditamos que as escrituras condenam o mundanismo, o que deve afetar nosso modo de falar, nossas ações, evitar certos lugares de diversão, não participar de *festividades dedicadas aos ídolos, possuir recato no vestir-se, uma vez que nosso corpo é o templo do Espírito Santo;

Que o homem e a mulher devem usar traje digno de santos, não deve ser curto, decotado ou transparente.

Reafirmamos que o casamento é uma ordenança sagrada instituída por Deus.

(1 Pedro 1:15-16; Colossenses 4:6;  Mateus 5:37; 1 Coríntios 6:9-10;  Apocalipse 21:8; 1 Pedro 3:3; 1 Timóteo 2:9; Deuteronômio 22:5;  Deuteronômio 14:3-21; Atos 15:20; 1 Coríntios 6:19; Hebreus 13:4; Mateus 5:32; Mateus 19:3-9; I Coríntios 7:10 a 16);

* Festividades aos ídolos: Natal, Páscoa mundana, quaresma, festa juninas, dia das bruxas, etc.

Cremos que o povo de Deus deve abster-se de alimentos proibidos pela palavra de Deus, como o nos abstermos de comer o sangue e alimentos imundos. Que a classificação de animais limpos e imundos já era conhecida muitos séculos antes da lei de Moisés.  (Que por sermos o templo do Espírito Santo de Deus, não podemos nos contaminar com nada imundo. e não devemos nos dar a bebedices e glutonarias.

(Gênesis 9:4; Atos 15:20; 2 Coríntios 6:17; Levítico 11; Deuteronômio 14:3-21; Gênesis 7:1 a 3, 8 e 9; 2 Coríntios 6:16 e 7; Gálatas 5:21; Efésios 5:18).

Cremos que a Igreja é de origem divina, estabelecida sobre o fundamento dos profetas e apóstolos, com Jesus Cristo sendo a principal pedra angular. É um corpo espiritual que inclui todos os verdadeiros cristãos que foram “eleitos” do mundo e reunidos nele. Que Jesus Cristo é a cabeça da Igreja de Deus, que as unidades deste corpo (congregações locais), estão sob a supervisão espiritual de homens piedosos, sob a direção do espirito santo, sendo atendidas por presbíteros e diáconos, possuindo independência organizacional, administrativa e financeira, estando em comunhão e unidade cristã com as demais congregações.

Cremos que é bíblico o financiamento da obra de Deus. Acreditamos que a mordomia cristã envolve o dizimar e a doação de recursos de forma periódica, proporcional, voluntária e feita com alegria, pela oportunidade de participarmos da expansão do evangelho da salvação de Deus. Acreditamos que existem promessas de bênçãos aos que agirem assim.

(1 Coríntios 10:32; 1 Coríntios 11:22; 1 Coríntios 15:9; Gálatas 1:13; 1 Timóteo 3:5; Efésios 2:19-22; Mateus 16:18; Atos 4:11; Efésios 1:22-23; 1 Coríntios 12:13; Efésios 3:6; Efésios 4:15-16; Efésios 5:23-24; 1 Pedro 5:1-3; Tito 1:5-9; Atos 6:2-6; 1 Timóteo 3:8-13; Lucas 8:1-3; Filipenses 4:14-19; 2 Coríntios 11:8-9; 2 Coríntios 9:7-8; Malaquias 3:10 e 11).

a) Pregar o evangelho do reino de Deus;
(Atos 1:8; Marcos 16:15)

b) Batismo cristão de crentes por imersão como o único verdadeiro batismo na água. Após o arrependimento, o crente deve ser batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos pecados, como um símbolo da morte para o pecado e uma promessa de caminhar em “novidade de vida” com Cristo Jesus.

(Atos 2:38; Atos 8:15-16; Atos 10:48; Atos 19:05; Atos 22:16; Marcos 16:16; Romanos 6:3-5);

c) A Ceia do Senhor, em memória ao sofrimento e a morte de nosso Senhor Jesus Cristo, “até que Ele venha”. É um memorial que deve ser observado anualmente (na noite de Cristo foi traído), início do dia 14 de Nisã (Abib) com pães sem fermento e o suco da uva, representando o corpo sem pecado de Cristo e o seu sangue derramado. É também um símbolo da amorosa comunhão cristã e uma promessa de lealdade renovada ao nosso ressuscitado Senhor e Salvador.

(Mateus 26:26-28;  1 Coríntios 5:6-8; 1 Coríntios 11:23-26);

d) A observância do ato de humildade ou a lavagem dos pés dos santos deve ser realizada em conexão com a Ceia do Senhor. (João 13:4-5 e 14)

e) Oração, Busca pelos dons espirituais e Cura Divina;
Cremos que a oração é um privilégio e um dever de todo cristão, uma aproximação de Deus em comunhão espiritual, a fim de adorá-Lo e louvá-Lo por Suas misericórdias, trazer nossos pedidos a Ele e interceder favor de outros. Nossas petições devem ser feitas a Deus em nome de Jesus Cristo, com entendimento e na direção e no poder do espírito santo. Cremos na manifestação de todos os dons espirituais e que estes devem ser buscados pelos salvos para edificação e aperfeiçoamento da Igreja. Cremos na oração com imposição de mãos dos presbíteros para cura divina;
Que o jejum deve ser praticado particular ou coletivamente e de forma espontânea.

(Romanos 12:12; Efésios 6:18; Filipenses 4:6; Tiago 5:16; Romanos 8:34; Colossenses 3:17; 1 Coríntios 12:7-10; 1 Coríntios 14:1; Atos 28:8; Tiago 5:14-15; Mateus 6:17-18; Atos 13:2 e 3; 14:23; Mateus 9:15; 17:21; Lucas 2:37; II Coríntios 6:5; 11:27);

f) O véu para as mulheres;
Cremos que a mulher cristã, ao orar e profetizar, deve cobrir a cabeça. Que o véu deve ser usado durante as reuniões da Igreja. (1 Coríntios 11:5-6 e 10).

Cremos que a Igreja tem uma forma de saudação: Paz seja contigo, convosco ou nesta casa;Que o ósculo santo (beijo na face) é uma saudação de amor fraternal. Que não deve ser usado como costume ou tradição entre o povo de Deus, mas sempre praticado em momentos especiais.Que foi praticada por Jesus e ensinada pelos apóstolos.

(Deuteronômio 10:19; Lucas 24:36; João 20:19; 21:36; Lucas 10:5 e 6; Lucas 7:45; Atos 20:37; Romanos 16:16; I Coríntios 16:20; II Coríntios 13:12; II Tessalonicenses 5:26).

Cremos que os Dez Mandamentos são a lei eterna de Deus e que essa lei é válida para os cristãos, porque traz o conhecimento sobre o pecado; Que Cristo não veio para revogar a lei, mas cumprir. Que a ela foi escrita nos corações dos servos de Deus, por isso perseveram em obedece-los.   Portanto, as Escrituras ordenam a observância do quarto mandamento, que declara a observância do sétimo dia da semana (chamado de sábado), como o dia do descanso cristão. Este deve ser observado do pôr-do-sol de sexta-feira até o pôr-do-sol de sábado, como o dia de descanso e adoração.

(Êxodo 20:2-17; Mateus 5:17-18; Mateus 19:16-21; Romanos 3:31; Romanos 7:7; Romanos 7:14; Tiago 2:8-12; 1 Coríntios 7:19; Romanos 3:20; Hebreus 8:8-10; Apocalipse 12:17; Apocalipse 14:12; Gênesis 2:3; Mateus 28:1; Levítico 23:32; Marcos 2:27-28);

Cremos na existência de satanás e que é o adversário de Deus e do seu povo; Que os santos devem resisti-lo; Que é a antiga serpente, e também é chamado de diabo; Que é homicida, enganador e mentiroso desde o princípio, com poderes para transfigurar-se em anjo de luz; Que ficará acorrentado  por mil anos para não enganar as nações que há na terra e no final será destruído no lago de fogo. 

(1 Pedro 5:8; Tiago 4:7; Apocalipse 12:9; João 8:44; 2 Coríntios 11:14; Apocalipse 20:2,10)

Cremos na existência de anjos de Deus, que são ministradores enviados por Deus a favor ou para punir os homens; e também na existência de anjos que se rebelaram contra Deus, que serão destruídos pelo Senhor. Cremos que os anjos não devem ser adorados.

(Gênesis 22:11 e 15; Gênesis 31:11; Atos 10:3; Juízes 6:12; Mateus 28:5; Lucas 1:11, 19, 26 e 28; Êxodo 3:2; Juízes 6:21; 2 Reis 19:35; Apocalipse 12:9; Apocalipse 22:8-9).

Cremos que o retorno de Israel, para sua terra, é um acontecimento que já estava profetizado na palavra de Deus, e é um dos sinais que antecedem a iminente volta de Jesus Cristo. É um sinal de que o retorno de Cristo está próximo. Que os ataques promovidos contra a nação de Israel, indicam a proximidade do Armagedon.

(Jeremias 33:14 a 17; 33:25 e 26; 30:9 e 10; Amós 9:14 e 15; Ezequiel 36:24 e 36; 37:21 e 28; Lucas 21:24; Jeremias 31:8 e 14).

Cremos que Jesus Cristo, de acordo com sua promessa, voltará a esta terra, pessoalmente, visível e gloriosamente, para por fim ao Armagedon e reinar aqui na terra, com seus santos por mil anos; e que esta vinda é a bendita esperança da Igreja, na medida em que, dessa vinda depende a ressurreição dos mortos, a recompensa dos justos, a abolição do pecado e seus frutos, a renovação da terra agora marcada pelo pecado, que tornar-se-á o lar eterno dos remidos, quando então a Terra estará para sempre livre do pecado, de satanás, dos ímpios e da maldição da morte,  o Senhor Jesus entrega o reino ao Pai, a Terra receberá a nova Jerusalém para que Deus habite no meio do seu povo. 

(Atos 1:11; 1 Tessalonicenses 4:16-17; Apocalipse 22:12; Mateus 25:31-32; Atos 2:29-30; 1 Coríntios 15:24-28; Atos 3:21; Apocalipse 19:15-16;  Apocalipse 5:9-10; Apocalipse 20:6; Daniel 7:18 e 27; 2 Pedro 3:13; Salmos 37:11 e 29; Mateus 5:5; Isaias 11:5-7; Apocalipse 20:7-15; Apocalipse 21:1-3, 22-27; Apocalipse 22:1-5).

Cremos que a profecia bíblica indicou o tempo ou estação aproximada do retorno de Cristo; comparando o testemunho com os sinais dos tempos (como o reagrupamento da nação de Israel e o armagedon), estamos confiantes de que Ele está próximo “à porta”, e acreditamos que o grande dever do momento é a proclamação dessa redenção que virá em breve, a defesa da verdade e da autoridade da Bíblia, advertir as nações a fugir da ira de Deus.

(2 Pedro 1:19-21;  Mateus 24:1-2; Lucas 21:20-24; Ezequiel 36:24; Ezequiel 37:21; Isaias 66:8; Joel 3:1-2; Apocalipse 16:14 e 16; Zacarias 12:3, 9-11; Romanos 11:25-28; Mateus 24:42, 45-46; 2 Timóteo 3:1-7; Romanos 15:4; Apocalipse 14:6-13).